A demissão da empregada doméstica por whatsapp foi validada no brasil

Justiça valida demissão da empregada doméstica via WhatsApp

A demissão da empregada doméstica sem justa causa é a modalidade mais comum de rescisão do contrato de trabalho por parte do empregador doméstico, e, por isso, também é a que mais leva domésticas à justiça.

É possível fazer a demissão da empregada doméstica sem justa causa, desde que o empregador esteja atento aos detalhes contratuais, para não correr riscos.

No ano de 2016, houve um caso em particular que levantou discussões e dúvidas sobre a demissão da empregada doméstica sem justa causa via aplicativo de conversas.

A grande questão que se levantou foi se a demissão da empregada doméstica pelo Whatsapp era ou não permitida, dentro dessa modalidade de demissão, e como o empregador e a doméstica deveriam agir nessa situação.

Para entender melhor sobre como a Justiça validou a demissão da empregada doméstica via WhatsApp, continue lendo!

Caso de demissão pelo WhatsApp

O caso foi o seguinte:

A empregada doméstica prestava os seus serviços na cidade de Campinas fazia um ano, até que, por mensagem via WhatsApp, acordou com o seguinte anúncio do contratante:

“Bom dia, você está demitida. Devolva as chaves e o cartão da minha casa. Receberá contato em breve para assinar documentos”

Acusando-a, ainda, de ter falsificado a assinatura no documento de rescisão, que é consequência da demissão da empregada doméstica sem justa causa.

A trabalhadora entrou com uma ação trabalhista alegando conduta abusiva e ofensa à dignidade e honra.

A ação foi julgada pelo juízo da 2ª Vara do Trabalho de Campinas, em São Paulo, que configurou ofensa à dignidade humana da empregada doméstica e condenou o empregador a indenizá-la pela acusação de falsificar a assinatura no documento de rescisão.

O TRT alegou que fundamentou a decisão de indenização à doméstica pelo conteúdo da mensagem de demissão, e não pelo meio de comunicação utilizado.

“Não se questiona a privacidade ou a segurança do meio de comunicação utilizado, mas o modo como o empregador comunicou a cessação do vínculo de emprego à trabalhadora”, disse o Tribunal. Segundo ele, ainda, na mensagem foram ignoradas regras de consideração e cortesia referentes à relação trabalhista.

Por danos morais, ela recebeu uma quantia referente a três salários.

Leia também: salário mínimo da empregada em 2022 pode já ter valor

A Justiça valida demissão da empregada doméstica por WhatsApp

Para a Justiça brasileira, na realidade, demitir a empregada doméstica via WhatsApp não ilegal.

A exceção está nos casos em que há algum tipo de humilhação ou desrespeito na troca de mensagens. Como no caso citado acima.

Apesar de parecer impessoal, a maioria dos pareceres na Justiça aceita os desligamentos via aplicativo de conversa como algo comum e até normal nesses tempos de pandemia do Covid-19.

A alegação dos juízes frisa que o aplicativo é uma ferramenta de comunicação muito popularizada como qualquer outra, não apresentando problemas para rescindir contrato através dele.

Na verdade, o ideal é que, se possível, o empregador demita a trabalhadora pessoalmente para evitar qualquer tipo de problema.

Entretanto, se ainda assim preferir usar o aplicativo, deve realizar a demissão com clareza, cautela e educação.

Quer ainda mais ajuda com a demissão da empregada doméstica sem justa causa?

Esperamos ter ajudado você a entender como passar por essa situação sem problemas!

Além disso, também acreditamos que foi possível mostrar que todo esse processo de demissão é complexo e, ao mesmo tempo, perigoso.

Nós, da iDoméstica, temos 10 anos de experiência no mercado e sabemos como lidar com essas situações que podem ser muito desconfortáveis, tanto para o empregador quanto para a doméstica.

Por isso, estamos disponibilizando, gratuitamente, uma possibilidade de contato com um dos nossos consultores especialistas e tire todas as suas dúvidas particulares.

Venha conhecer e conversar com uma consultora gratuitamente e sem compromisso sobre a demissão da empregada doméstica!

 

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.