Mulheres, todos os dias e em todos os lugares

Depois de anos de avanços rumo às principais economias mundiais, o Brasil passa por uma fase de reavaliação. Por conta de um cenário movido pelo consumo a base de crédito abundante, mas caro, as famílias são obrigadas a rever não apenas suas contas, mas também o cotidiano.

A importância da Mulher na sociedade

Isso não apaga as intensas mudanças vivenciadas por centenas de lares ao longo dos últimos 20 anos. Nesse turbilhão de alterações, movido inclusive pela tecnologia, o papel da mulher foi preponderante.

Vez ou outra, o noticiário deixa claro que, apesar disso, parte da sociedade não conseguiu se desvencilhar de práticas reprováveis, como a violência contra a mulher – são 500 vítimas por hora no Brasil. Mesmo núcleos que requisitam alta capacitação, como as empresas, ainda relutam em equiparar salários pagos aos contingentes masculino e feminino.

Apesar disso, elas estão aí. Assumiram cargos decisórios. Nos postos iniciais de uma organização, apresentam, em grande parte, aproveitamento superior aos ocupantes masculinos da mesma função. Nos três poderes da República, como no STF, também aparecem na liderança formal ou como influenciadoras na informal.

Mulheres no lar

No lar, o diálogo entre patroas que trabalham fora de casa e empregadas domésticas mudou. Afinal, a empregada doméstica, tal como sua patroa nessas condições, trabalha “fora”. Ambas passaram a falar sobre jornada, piso regional, feriados, benefícios, sempre de olho naquilo que a lei diz.

O mesmo vale para a mulher que gerencia o lar, mas que não trabalha “fora”. Sim, gerenciar é o verbo correto, pois a legislação trazida pela PEC das Domésticas obrigou muitas delas a assumir a administração da “empresa” chamada “lar” no campo trabalhista.

Conectadas

Conectadas pela tecnologia, vimos surgir ferramentas que auxiliam esse processo, como o iDoméstica. O mesmo dispositivo móvel que ajuda a pagar contas, ler um documento, saber se o trânsito até o trabalho ou a escola dos filhos está ruim, aprimora o relacionamento empregador-empregado.

Mulheres são maioria no trabalho doméstico

Atenção: usar palavras masculinas aqui é por simples medo de repetir termos. No Brasil, apenas sete em cada 100 empregados domésticos são homens.
Mulheres que trabalharam fora, mulheres que gerenciam o lar, mulheres profissão empregada doméstica… Incrível, notamos somente agora que todas são mulheres.

Então, que a sociedade possa vê-las como mulheres todos os dias do ano.

Parabéns pelo Dia Internacional da Mulher! ;-)

Um singela homenagem de toda equipe iDoméstica no Dia Internacional da Mulher.
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.